Centenário do PCB e dos comunistas no Brasil

Centenário do PCB e dos comunistas no Brasil

Nesse 25 de março de 2022, celebramos 100 anos de movimento comunista organizado no Brasil. O “Partido Comunista – Seção Brasileira da Internacional Comunista” passou por inúmeras vicissitudes ao longo de sua centenária história. Momentos como esse são importantes para refletirmos sobre os erros e acertos do passado, aprender com as experiências e recuperar o legado dos pioneiros do movimento comunista em nossas terras.

Desde a “Carta aos Comunistas” de 1980, quando Luiz Carlos Prestes rompeu com o partido e seu comitê central degenerado, pouco foi feito no movimento concreto para superar os erros que levaram a sua capitulação em 1992. Ainda que os debates teóricos sobre os erros estratégicos cometidos ao longo da sua história — objeto de denúncia e autocrítica de Prestes –, tenham avançado significativamente, falta construir no Brasil um movimento com uma direção efetivamente revolucionária e consequente.

O PCB tateou entre o esquerdismo e o reformismo por várias décadas em razão de sua estratégia etapista cuja consequência levava a uma aliança com a quase mitológica “burguesia nacional”. A assimilação de Prestes da obra de Florestan Fernandes e sua interpretação da formação social brasileira, marcada por um capitalismo de tipo dependente e associado ao imperialismo, foram fundamentais para iluminar os caminhos da reconstrução de um partido revolucionário no Brasil.

O legado de Prestes e do PCB ainda é pouquíssimo assimilado pela esquerda brasileira impregnada de posições ideológicas burguesas “de esquerda”. Nesse sentido, celebrar a história do PCB exige um movimento contrário a mitificação de um partido ou de quadros, atitude para com o passado que só serve aos manipuladores e oportunistas. Sabemos que o legado do PCB é generoso e atravessa a esquerda quase toda. A história do Brasil e do PCB estão atravessadas de tal forma que essas dimensões frequentemente se confundem.

A maior honra que podemos dar aos quadros tombados do PCB em sua centenária história é estudar seu desenvolvimento, depurando seus erros e recuperando seu valioso legado de lutas.

Abaixo recuperamos alguns materiais que podem servir a esse nobre propósito:

Curso: História dos Comunistas Brasileiros (1922-1990)

Debate com Anita Prestes, Ricardo Antunes e Elina Pessanha e Marco Aurélio Santana

Entrevista com Anita Prestes no Programa Faixa Livre

Documento: A Herança e a Esperança de 1994

Documento: Carta aos Comunistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.