Livro: “Herança, Esperança e Comunismo: Luiz Carlos Prestes e o Movimento Comunista Brasileiro”

Livro: “Herança, Esperança e Comunismo: Luiz Carlos Prestes e o Movimento Comunista Brasileiro”

Documentos (1980-1995)

Foi publicado pela editora Lutas Anticapital o livro “Herança, Esperança e Comunismo – Luiz Carlos Prestes e o Movimento Comunista Brasileiro: Documentos (1980-1995)” organizado pelo historiado Gustavo Koszniewski Rolim. Abaixo os textos de contracapa, de orelha e informações sobre encomendas e o evento de lançamento:

Este livro é uma coletânea de documentos de caráter político-partidário e demais textos de semelhante tonalidade, cujo ponto de partida é a ruptura de Luiz Carlos Prestes (1898-1990) com o Partido Comunista Brasileiro (PCB), em 1980. Em seus dez últimos anos de vida, Prestes dedicar-se-ia a esclarecer suas posições, delineadas em exílio desde meados dos anos 1970, em intenso conflito com o restante do Comitê Central do PCB. Deste acúmulo, esforço e embate, nasceram posições teóricas e organizacionais, como a emblemática Carta aos Comunistas, de 1980 e o texto de Anita Prestes A que herança devem os comunistas renunciar, do mesmo ano. A partir de sua ruptura, estabeleceu-se intenso movimento entre seus correligionários: diversos militantes e núcleos de base, além de personalidades de destaque dentre o movimento comunista, como Gregório Bezerra e Maria Aragão lançaram-se a tarefa de disputar o PCB, retomá-lo e, posteriormente, lançar as bases para uma nova organização comunista revolucionária. Os documentos aqui trazidos e publicados referem-se justamente a este movimento de tentativa de renovação do movimento comunista brasileiro, abarcando publicações como o Ecos a Carta de Prestes, o Voz Operária e o Jornal Avançando.


Chega em boa hora a coletânea de textos sobre Luiz Carlos Prestes, produzidos durante os anos 1980, que foi organiza da pelo competente historiador Gustavo Rolim. Este é um trabalho necessário de ser visitado por diversos motivos, mas gostaria de destacar um deles: oferece uma perspectiva mais diversa sobre a história da esquerda brasileira em um momento decisivo de seu devir. Cristalizou-se ao longo do tempo uma interpretação que tendeu a apagar ou matizar uma série de debates ocorridos durante o período da redemocratização. A história das alternativas comunistas aparece nesse processo como destinadas a fracassar por serem monolíticas ou porque deviam ser superadas necessariamente por uma esquerda mais moderna. Uma breve olhada nos textos compilados mostra que existiam debates muito ricos entre os militantes comunistas pelas concepções de partido, de transição política e de revolução social, o que ajuda a combater ideias pré-concebidas e faz compreender melhor as alternativas colocadas para todo campo progressista naquele momento. Além disso, as polêmicas jogam luz sobre as alternativas políticas colocadas no momento de construção da Nova República. Talvez, revisitando alguns destes debates, consigamos jogar luz para os desafios que nos atingem no momento de crise deste modelo político. –

Frederico Duarte Bartz

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Técnico em Assuntos Educacionais pela mesma instituição.


Evento de Lançamento: No Memorial Luiz Carlos Prestes (Porto Alegre-RS), dia 06 de Março, às 18h.

Encomendas: edlutasanticapital@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *